Confira em quais países o funk nacional é mais ouvido e os motivos

  1. Inicio
  2. Confira em quais países o...

Confira em quais países o funk nacional é mais ouvido e os motivos


O funk brasileiro nasceu nas favelas cariocas no fim da década de 1980, mas ganhou destaque nos anos 1990, com nomes como Claudinho & Buchecha e DJ Marlboro. Ao longo do tempo, o estilo cresceu e tomou conta de todo o país: misturou-se com outros gêneros musicais, recebeu cara nova e batida diferente. O maior serviço de streaming musical do mundo, divulgou um levantamento sobre o crescimento do funk brasileiro no meio internacional. Entre 2016 e 2018, o consumo de playlists dessa categoria na plataforma cresceu 3.421% fora do Brasil.

Além da notoriedade na América Latina, o gênero tem se destacado em países da Europa — como Portugal e Inglaterra — e nos Estados Unidos.

Batida quente

O sucesso da batida está por trás dos próprios cantores. Atualmente, os funkeiros estão buscando maior profissionalização nas produções e estratégias para alcançar o público de outros continentes. Contudo, o segredo ainda está no ritmo inconfundível do gênero: A batida do funk é uma coisa muito contagiante e vem sendo usada por alguns artistas internacionais. Ela vira a base da música e você pode adicionar qualquer coisa.

Além disso, as parcerias entre personalidades brasileiras e músicos de outras nacionalidades estão levando o gênero para fora. Entre 2017 e 2018, parcerias como Olha a explosão remix (Kevinho part. 2 Chainz, French Montana e Nacho), Bum bum tam tam (Mc Fioti part. J Balvin, Stefflon Don, Future e Juan Magán), e Vai malandra (Anitta part. Tropkillaz, Yuri Martins, Maejor e Mc Zaac) internacionalizaram o ritmo que faz os brasileiros dançarem.

Criatividade cativante

O dono do hit Bum bum tam tam é o funkeiro MC Fioti. O som animado nasceu em 2017, quando o cantor de São Paulo mesclou a clássica melodia da flauta de Bach (Partita em Lá menor, 1723), a uma batida genérica. “Utilizei a flauta de Bach, um bit clássico de funk, bem seco, e abusei do grave”, conta o MC.

A criatividade da mistura rendeu bons frutos: a faixa cresceu e tomou conta do país. Após o grande sucesso no Brasil, Fioti resolveu apostar em parcerias gringas. “Bum bum tam tam foi enviada para os maiores DJs do mundo. Toparam fazer, porém, com a batida original, da forma que eu criei”, explica o MC.

Assim, nasceu a parceria com os cantores J Balvin (Colômbia), Stefflon Don (Reino Unido), Future (EUA) e Juan Magán (Espanha). Juntos, os artistas transformaram Bum bum tam tam em um sucesso com trechos em inglês, espanhol e português. O áudio oficial da música, publicado no canal de Fioti no YouTube, no fim de 2017, já tem mais de 31 milhões de visualizações.

 

Países que mais consomem funk fora do Brasil

  1. Estados Unidos
  2. Portugal
  3. Argentina
  4. Paraguai
  5. Reino Unido
  6. França
  7. Chile
  8. Espanha
  9. Canadá
  10. Itália
  11. Alemanha
  12. México

Funks mais ouvidos fora do Brasil em 2018

  1. MC Fioti – Bum bum tam tam
  2. MC Kevinho – Olha a explosão
  3. Anitta – Vai malandra (feat. Tropkillaz & DJ Yuri Martins)
  4. MC Fioti – Joga o bum bum tam tam (feat. J Balvin, Stefflon Don, Future & Juan Magán)
  5. MC Jhowzinho e MC Kadinho – Agora vai sentar
  6. Nego do Borel – Você partiu meu coração
  7. Anitta – Indecente
  8. Anitta – Paradinha
  9. MC G15 – Deu onda
  10. MC Kevinho – Rabiola

Fonte: Correio Braziliense

Compartilhe esse notícia!

Comentários

Nos envie seu depoimento ou pedido de música, para que possamos mostrar a todos!